Gracielle Torres

Gracielle Torres

Dores de cabeça, no pescoço e vista embaçada são sinais do problema

Em casa, na rua ou no trabalho. Praticamente em todos os lugares as pessoas ficam expostas a algum tipo de tela eletrônica. E esse costume de passar muito tempo na frente do computador, do videogame e do telefone pode levar a uma doença: a síndrome da visão do computador.

Os sintomas desse problema de saúde são dores de cabeça, dores no pescoço, vista embaçada e cansaço ocular.

De acordo com o oftalmologista Leonardo Marcolino, esses sinais estão diretamente ligadas ao uso exagerados das novas tecnologias.

- Com o tempo que as pessoas passam na frente do computador, o índice de concentração faz com que elas diminuam o piscar dos olhos. Isso faz os olhos ficarem mais secos, o que traz irritações.

Fonte: R7 Notícias

Postado por: Gracielle Torres

Qui, 06 de Dezembro de 2012 10:58

Segurança e Conforto no uso do Computador

Quando usamos o computador por diversas horas durante o dia, podemos perceber mal-estar e dores em algumas partes do nosso corpo. Estes problemas osteomusculares podem variar de pequenas dores musculares, que duram poucas horas, a problemas em tendões, que duram por vários anos. São as chamadas doenças ocupacionais, já classificadas como Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e, mais modernamente, como Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT).

Para prevenir que isso ocorra sempre que usar o computador siga estes princípios:

Ajuste
1. Ajuste a posição do corpo e do equipamento de trabalho.
2. Não existe uma posição "certa". Encontre sua área pessoal de conforto quando estiver trabalhando com o computador, ajuste-se frequentemente dentro dessa área tendo consciência da sua postura evitando ficar sem apoiar seu corpo.

Movimente-se
1. Alterne suas tarefas de modo que possa se movimentar. Evite ficar na mesma posição o dia todo.
2. Desempenhe tarefas que permitam que você ande.

Relaxe
1. Mantenha relacionamentos positivos no trabalho e em casa. Relaxe e tente reduzir as fontes de estresse.
2. Fique atento a tensões físicas, como contrair os músculos e encolher os ombros.
3. Faça intervalos pequenos e freqüentes.

Preste Atenção

1. Preste atenção ao seu corpo.
2. Preste atenção a qualquer tensão, desconforto ou dor que esteja sentindo e tome uma iniciativa imediata para ter alívio.

Lembre-se
1. Faça exercícios regularmente e mantenha uma boa forma física. Isso ajudará o corpo a suportar os rigores do trabalho sedentário.
2. Respeite qualquer condição médica ou problemas de saúde conhecidos.Ajuste seus hábitos de trabalho de acordo com essas condições.

 

Fonte: Portal Acessa.com

Postado por: Gracielle Torres

Qui, 06 de Dezembro de 2012 10:41

Projeto de lei torna pedofilia crime hediondo

Proposta aprovada na Câmara também aumenta a lista de condutas ilegais ligadas à exploração de menores e tipifica o delito de participação em organizações criminosas

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou ontem dois projetos de lei importantes para o combate à violência. Um deles torna hediondos os crimes envolvendo exploração sexual de menores de idade, prostituição infantil e pedofilia. As penas passariam de quatro a 10 anos de reclusão para cinco a 12 anos, além de multa. O projeto também amplia as condutas tipificadas, abrangendo o aliciamento, agenciamento e a indução da criança ou adolescente à exploração ou prostituição. Responsáveis pelos locais onde o fato ocorrer, como proprietários e gerentes, também responderão pelo crime, assim como clientes conscientes da situação de exploração.

A proposta define criminalmente a pedofilia, que é um transtorno mental, como conduta de quem se aproveita sexualmente, de forma consumada ou não, de crianças e adolescentes. Oriundo da CPI da Pedofilia no Senado, o projeto retorna àquela Casa, por ter sido modificado na Câmara. O outro projeto importante aprovado ontem pelos deputados, que segue agora para o Senado, é o que tipifica a participação em organizações criminosas, já que a legislação atual só trata dos delitos de “formação de quadrilha” ou “bando”, com pena de um a três anos de prisão.

Pelo texto, passa a ser crime a associação de quatro ou mais pessoas, estruturalmente ordenadas pela divisão de tarefas, ainda que informalmente, com o objetivo de obter vantagens por meio da prática de delitos para os quais a pena seja superior a quatro anos. É o caso do Primeiro Comando da Capital (PCC).

“Poderemos tipificar melhor grupos mais estruturados como os que atuam dentro de presídios, que chegam a ter livros contábeis, hierarquia e, com tudo isso, obviamente praticam crimes mais graves”, diz Marivaldo Pereira, secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça. A pena para participação em organizações criminosas, pelo projeto, é de três a oito anos, podendo ser aumentada para até 13 anos e quatro meses caso haja participação de menores de idade ou de funcionários públicos.

Outra inovação do projeto, considerado prioritário pelo governo federal, é regulamentar técnicas especiais de investigação, como a colaboração premiada, a infiltração policial em organizações criminosas e a ação controlada, que é a protelação repressiva para que seja feita no momento em que se alcancem resultados mais efetivos. “Quando a polícia deixa de bloquear um caminhão com drogas, por exemplo, para chegar ao ponto de carregamento”, explica Marivaldo.

HOMICÍDIO Na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, um anteprojeto que endurece penas para crimes foi aprovado. Entre outras mudanças, a proposta eleva a punição para o homicídio simples de seis a 20 anos de reclusão para oito a 20 anos. O texto também agrava a pena para o homicídio cometido por preconceito de qualquer natureza. O projeto prevê o mesmo para assassinatos de agentes públicos da área da segurança ou justiça em virtude da função que exercem, bem como para jornalistas vitimados por terem divulgado irregularidades. A morte de testemunhas ou ativistas de defesa dos direitos humanos também será qualificadas. Depois de aprovado, o anteprojeto será numerado e começará a tramitar.



Fonte: Portal Uai - Estado de Minas

Postado por: Gracielle Torres

A presidente Dilma Rousseff sancionou duas leis que alteram o Código Penal para estabelecer os crimes eletrônicos e na internet e suas respectivas sanções. Os projetos foram aprovados pela Câmara dos Deputados no dia 7 de novembro. A sanção foi publicada nesta segunda-feira no “Diário Oficial da União” (DOU).

Uma das leis é a de número 12.737, que ficou mais conhecida como Lei Carolina Dieckmann, em referência à atriz que teve 36 fotos suas, em poses nuas e seminuas, vazadas na internet em maio e foi vítima de chantagem A lei tipifica crimes com uso de dados de cartões de débito e crédito sem autorização do proprietário. Essa prática é equiparada à falsificação de documento particular e as penas variam de um a cinco anos e multa.

A lei também considera crime a invasão de dispositivos eletrônicos como celulares, notebooks, desktops, tablets ou caixas eletrônicos para obter ou adulterar dados e obter vantagens ilícitas. As penas podem variar de três meses de prisão a três meses a dois anos de prisão e multa.

Ela define ainda como crime a prática — muito adotada por hackers de grupos como o LulzSec, ligado ao movimento Anonymous — de interrupção intencional do serviço de internet de empresas. As penas, nesse caso, variam de um a três anos de detenção e multa.

A presidente também sancionou a Lei nº 12.735, mas com dois vetos. Um deles foi ao artigo 2º, que equiparava o cartão de crédito ou débito a um documento particular, devido à existência de legislação anterior que define crimes com uso de cartões.

Também foi vetado o artigo 3º, que alterava o Código Penal Militar, punindo a entrega ao inimigo ou expondo a perigo navio, aeronave, força ou posição, engenho de guerra motomecanizado, provisões, dado eletrônico ou qualquer outro elemento de ação militar e a perda e destruição desses dados. A regra foi considerada muito ampla, o que inviabilizaria a determinação exata do crime.


Fonte: O Globo

Postado por: Gracielle Torres

Um motoboy de 48 anos foi preso após estuprar a filha nesse domingo (2) em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. O crime ocorreu dentro da casa da vítima, identificada como S.C.S, de 12 anos. O imóvel fica no bairro Jaraguá e a adolescente afirmou aos policiais que era vítima de abuso sexual há pelo menos dois meses. De acordo com a Polícia Militar, Manuel Audi Soares foi preso depois que a filha dele ligou para o namorado e pediu socorro. Assustado com o relato da namorada, o adolescente chamou a polícia.

S.C.S foi localizada trancada em um quarto da residência onde mora apenas com o pai, já que nem conhece a mãe. Durante conversa com os militares, a adolescente contou que tem aproximadamente dois meses que o pai começou a assediá-la e, muitas vezes, de forma violenta e sugerindo que ela deveria manter relações sexuais com ele. S.C.S relatou que foi obrigada a fazer sexo com o pai nesse domingo, quando ela pegou uma faca para se defender e tentou fugir. Porém, o motoboy alcançou a filha e a trancou em um quarto. A adolescente sofreu cortes na mão direita ao tentar não ter a faca tomada pelo pai. A menina afirmou ainda aos militares que os estupros começaram após o pai a acordar em uma noite e a forçar a fazer sexo com ele por algumas horas.

Ao notar a presença da polícia, o motoboy correu para os fundos da casa, pulou um muro e tentou se esconder no imóvel de vizinhos, onde foi detido. Durante depoimento, algumas pessoas que moram perto do preso e da adolescente relataram aos policiais que já desconfiavam dos abusos sofridos pela menina.

Conforme a PM, Manuel Audi Soares negou ter estuprado a filha e alegou que trancou a adolescente no quarto devido ao fato dela querer ir dormir na casa do namorado e ele não permitir.

S.C.S  foi encaminhada ao Hospital de Clínicas de Uberlândia da Universidade Federal de Uberlândia (HCU-UFU), onde passou por exame de corpo de delito.

O motoboy foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil da cidade. O caso foi comunicado ao Conselho Tutelar de Uberlândia.

Fonte: Jornal O Tempo

Postado por: Gracielle Torres

Homem teria oferecido drogas, cigarro, celulares e brinquedos para as meninas

Câmeras de segurança de um hotel flagraram o momento em que um homem leva duas meninas menores de idade para o quarto, onde iria fazer sexo com elas, em Derby, Inglaterra.

De acordo com o tabloide britânico The Sun, John Shaw teria encontrado uma das meninas em um orfanato e outra nas ruas. Após abusar das garotas, Shaw teria dado a elas cinco libras (cerca de R$ 16). Shaw também teria oferecido cigarros, drogas, telefones celulares e prometido brinquedos e passeios para as crianças.

A filmagem foi transmitida durante o julgamento de Shaw, na corte de Derby e mostra Shaw fazendo o check-in no hotel. Segundo as autoridades, as garotas, que têm 15 anos, fazem parte de um grupo de jovens que são abordadas na rua e levadas para hotéis da região para fazerem sexo com desconhecidos.

Além de Shaw, outros sete acusados de crimes sexuais na região foram presos: Anthony Lambert, Stefan Godfrey, Ijaz Ahmed, Mark Adaoui, Colin Simpson, David Shardlow e Ian Yeoman.

A polícia britânica conseguiu prender os homens após uma grande operação de investigação sobre pedofilia. Segundo o Sun, a prostituição é um problema na região e que uma das meninas envolvidas nos casos afirmou que achava que receber dinheiro por sexo “devia fazer parte do crescimento” das jovens.

Segundo a polícia, além dos oito homens presos, cerca de 15 jovens estão envolvidas na investigação.

Fonte: CenárioMT

Postado por: Gracielle Torres

Estudo aponta relação entre turismo de lazer e abusos; campanha internacional tentará evitar que problema se agrave

PARIS - Após a divulgação em Paris de um estudo que mapeia a relação entre o turismo de lazer e a exploração sexual de menores no Brasil, pesquisadores e especialistas fizeram um alerta no dia 23 de outubro sobre o risco de um aumento do turismo sexual infantil no país durante a realização da Copa de 2014 e Olimpíada de 2016.


O estudo, coordenado por um pesquisador do Sesi (o Serviço Social da Indústria), foi divulgado terça-feira (dia 23) durante o seminário internacional "Turismo Sexual Envolvendo Crianças e Grandes Eventos Esportivos", que reuniu organizações de luta contra a exploração sexual infantil e profissionais do setor de viagens de diversos países.

Durante o evento, a organização ECPAT (sigla em inglês para Fim da Prostituição e do Tráfico de Crianças para Fins Sexuais) também anunciou que lançará, com apoio do Sesi, uma campanha internacional para prevenir o agravamento desse problema durante os Jogos no Brasil.

O pesquisador Miguel Fontes, que além de atuar na área de pesquisas estratégicas do Sesi também está ligado à Universidade John Hopkins, analisou a relação existente entre o número de entradas de turistas estrangeiros em São Paulo e na Bahia de 2008 a 2010 e o total de denúncias de exploração sexual infantil nesses dois estados no período.

"Na Bahia, onde o turismo é de lazer, os resultados demonstram que para cada 372 turistas internacionais, houve o aumento de uma denúncia de exploração sexual de crianças. Em São Paulo, onde o turismo de negócios é maior, somente com o aumento de 2,5 mil turistas se detecta o aumento de uma denúncia de exploração sexual infantil", diz Fontes.

"A exploração sexual de crianças e adolescentes está ligada às atividades turísticas de lazer. Por isso, podemos projetar que a realização de grandes eventos esportivos mundiais, ao promover um aumento do fluxo de pessoas (para o Brasil), pode ampliar o número de casos desse tipo", conclui o consultor.

CAMPANHA
Segundo Fontes, as crianças exploradas sexualmente no Brasil têm por volta de 11 anos em média. As meninas representam quatro de cada cinco casos de denúncias. E a região nordeste concentra 37% dos casos.

O ministério brasileiro do Turismo prevê 600 mil turistas estrangeiros e 5 milhões de visitantes brasileiros só durante a Copa do Mundo, em 2014.

"O grande fluxo de pessoas aumenta as possibilidades de exploração sexual de crianças. A miséria cria a oferta de menores e as redes mafiosas vão querer suprir a demanda", afirma Jair Meneguelli, presidente do Conselho Nacional do Sesi.

A campanha da ECPAT, intitulada "Não desvie o olhar", prevê vídeos e pôsteres que serão exibidos em aeroportos, aviões, agências de viagens, bares, restaurantes e outros espaços públicos em dez países da Europa e também no Brasil.

Também prevê a criação de um um site europeu para denúncias. Ela custará 3 milhões de euros, que serão financiados principalmente por recursos da União Europeia.

 

Fonte: Portal Estadão

Postado por: Gracielle Torres

Um lixeiro britânico disse que passou mal após encontrar imagens que um pedófilo havia jogado fora.

Dave Westcott, 25 anos, trabalhava na reciclagem de lixo em Devon, no sudoeste da Grã-Bretanha, quando descobriu as fotos.

Colin Eaton, de 52 anos, admitiu 18 crimes de produção ou posse de imagens de natureza sexual de crianças e foi condenado à prisão.

"Já encontrei roupas de baixo sujas e animais mortos, mas isso foi repulsivo", disse Westcott.

"Atrás de portas fechadas'

O lixeiro relatou a descoberta a seu supervisor e a Polícia foi acionada.

"Não é o que você espera encontrar no trabalho", acrescentou Dave. "Eu tenho sobrinhos e sobrinhas e minha mulher está grávida. Você nunca sabe o que se passa por trás de portas fechadas."

Sobre a condenação, o lixeiro disse: "Estou satisfeito que ele tenha sido pego, mas acho que a pena foi muito branda."

Eaton foi condenado a oito meses de prisão mais dois anos de liberdade condicional.

Ele também foi registrado como criminoso sexual na Corte de Exeter Crown.

Fonte: BBC

Postado por: Gracielle Torres

Maria Rita Nunes até ganhou uma cadeira mais confortável do pai para não sofrer de dores nas costas durante as cerca de seis horas diárias que fica em frente ao computador de casa. Isso sem contar as espiadas na internet do celular durante o intervalo das aulas no Colégio Santa Maria. Não raro, ela troca o tempo de sono da madrugada para assistir a algum vídeo publicado por um amigo ou para postar no Twitter. Afinal, foi por essa ferramenta que ela conheceu uma de suas melhores amigas.

Aos 15 anos, a adolescente é o retrato do que mostra a pesquisa Nós, Jovens Brasileiros, realizada pelo Portal Educacional, que mapeou o comportamento de 4 mil estudantes de 13 a 17 anos, alunos de 60 escolas particulares de todo o país. Neste ano, foram os próprios jovens que sugeriram as questões que, depois de selecionadas, compuseram o corpo do questionário.

E, quando o assunto é internet, as descobertas revelam desde questões mais objetivas - como o tempo de uso, que cresce ano após ano - até temas bem mais delicados, como a disposição a se expor na rede.

Um dos dados mais preocupantes é o que mostra que, do total de entrevistados, 6% deles já apareceram nus ou seminus em fotos na rede e o mesmo porcentual já mostrou partes íntimas de seu corpo para desconhecidos por meio de webcam. Além desses, outros 3% já pensaram em se exibir dessa forma, mas não puseram isso em prática.

"Isso reforça a nossa percepção de que o jovem acredita que a tela e a distância relativizam o risco do perigo", diz o psiquiatra Jairo Bouer, parceiro do Portal Educacional. "Ou ele quer se diferenciar e ganhar fama a qualquer preço, e para isso avalia que vale a pena até mostrar o corpo, ou ele é inocente e acha que não é tão grave".

Fonte: OTempo

Postado por: Gracielle Torres

O jogo Boyfriend Maker, para iOS, foi removido da AppStore nesta semana por conter conteúdo impróprio para menores, com referências a temas condenáveis como violência contra a mulher e até mesmo pedofilia. O aplicativo foi excluído da loja após uma série de denúncias feitas por usuários.

A loja virtual de aplicativos para iPhone, iPad e iPod touch tem regras firmes contra conteúdo ilícito ou de cunho sexual de forma aberta, mas alguns apps disfaçardos conseguem escapar das garras da aprovação de conteúdo. É o caso do Boyfriend Maker.

De acordo com o site PocketGamer, o aplicativo, voltado para meninas na faixa de 15 anos, apresenta um tipo de “namorado virtual” para a usuária. O problema é que este “companheiro” oferece conversas simuladas com segundas intenções, entrando abertamente em temas de cunho sexual.

Em algumas das possíveis perguntas e respostas disponíveis no aplicativo, o “namorado” afirma ter feito sexo com crianças e ainda diz que aprova experiências sexuais violentas com outras mulheres. Infelizmente, o app não tinha qualquer sistema de censura ou controle para os pais.

O PocketGamer entrou em contato com a produtora 36you, responsável pelo game, mas a companhia ainda não se pronunciou sobre o caso.

 

Fonte: Techtudo

Postado por: Gracielle Torres

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>
Página 5 de 13